26 setembro 2012

DELFIM NETTO SAI EM DEFESA DE LULA E CRITICA MÍDIA

Ex-czar da economia no período militar, professor Delfim diz que Lula fortaleceu as instituições e promoveu grandes avanços sociais no País e afirma ainda que alguns veículos de comunicação usam seu poder de forma abusiva

O ex-presidente Lula, acossado por adversários na política e nos meios de comunicação com denúncias não provadas, como é o caso da entrevista sem fita e sem áudio publicada por Veja, ganhou, nesta quarta-feira, um apoio de peso: o do ex-ministro da Fazenda no regime militar, Antonio Delfim Netto. No seu artigo intitulado “Lula”, ele fala que o ex-presidente fortaleceu as instituições democráticas no País e denuncia ainda o uso abusivo que alguns veículos de comunicação fazem do seu poder, que seria prejudicial à liberdade de opinião.

 Leia mais no 247

7 comentários:

Antônio Carlos de Holanda Cavalcanti disse...

Quem te viu, quem te vê!
Essa falsa esquerda, cujo maior protagonista é o Lula, e representada por veículos como esse blog, já recorreu ao Sarney, ao Collor (argt!!!), ao Maluff (bleééé!!!) e, agora, ao Delfim Neto!!!!??????
Vergonha nacional!

Carlos Cwb disse...

Escreveu merda, Holanda.
Ninguém recorreu a ninguém, a declaração foi espontânea.
Vá curtir tua dor de cotovelo na revista óia, na fôia ou na PQP...

Anônimo disse...


"Para acabar com a fome no Brasil, se necessário, acendo uma vela para Deus e outra ao diabo". [Herbert de Souza, o Betinho].

Anônimo disse...


"O progresso é impossível sem mudança. Aqueles que não conseguem mudar as suas mentes não poderão mudar nada". [Bernard Shaw, escritor e filósofo irlandês].

Anônimo disse...

Delfim Neto

Outra defesa importante foi o texto de autoria do economista e ex-ministro Delfim Neto, que defendeu o ex-presidente Lula e criticou a mídia. Reconheceu os avanços obtidos no governo anterior e no atual. Citou, ainda, o acerto das medidas tomadas pela presidenta Dilma Rousseff, etc. A oposição e o PIG engolem tudo no seco, não podem acusá-lo de ser petista, ou de esquerda.

Paulina Paraupaba
27-05-2012

Anônimo disse...

Delfim Neto

Foi outra defesa importante o texto de autoria do economista e ex-ministro Delfim Neto, que defendeu o ex-presidente Lula e criticou a mídia. Reconheceu os avanços obtidos no governo anterior e no atual. Citou, ainda, o acerto das medidas tomadas pela presidenta Dilma Rousseff, etc. A oposição e o PIG engolem tudo no seco, e por ele ter sido ministro da fase da ditadura civil-militar, não podem acusá-lo de ser economista petista, ou de esquerda. Mudar faz parte da inteligência e da vida.

Paulina Paraupaba
27-05-2012

Anônimo disse...

Esquerda

Seu Cavalcanti:

Fiquei curioso, gostaria que o senhor fornecesse mais detalhes, se possível, explicasse melhor, para tirar algumas dúvidas sobre a esquerda.

Primeiro, esclareço que sou apenas um cidadão eleitor razoavelmente informado, que escolhe votar em candidatos de partidos com um perfil político de esquerda, ou seja, de perfil comunista, socialista, trabalhista, popular e progressista.

Já que o senhor levantou o tema ao citar a "falsa esquerda", então, seria bom e oportuno dizer onde se encontra aquela que seria a verdadeira esquerda, pois se tem a falsa esquerda, então tem a verdadeira. Isto é uma informação relevante, principalmente, no que se refere ao Brasil.

Os senadores Sarney, Collor, e outros, não são novidades ou exceções, nem foram descobertos numa cratera de Marte pelo robô "Curiosity". Eles fazem parte da realidade do espectro político existente. Além disto, eles foram eleitos pelo povo, dentro da regra do jogo da democracia capitalista.

Por exemplo, eu nem era nascido, quando o atual senador Sarney já era um parlamentar da banda jovem da antiga UDN, aquela que tinha como grande líder o agitador e golpista Carlos Lacerda (UDN-RJ). Politicamente, o atual senador
Sarney foi quase tudo, foi deputado, senador, governador e presidente da República, etc. Mas, entre outras coisas, em 2005, o senador Sarney não apoiou o golpe que se pretendia aplicar no então presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Nesse espectro da direita e extrema-direita brasileira, as alternativas políticas seriam José Serra (PSDB-SP), o deputado federal Índio da Costa (DEM-RJ), o ex-senador Demóstenes Torres (ex-DEM, ex-ilibado), o ex-senador e
atual governador Perillo (PSDB-GO), o atual senador Agripino Maia (DEM-RN), o atual senador Álvaro Dias (PSDB-PR), etc. A lista é grande, daria um livro.

É verdade que no passado, o ex-ministro e economista Delfim Neto, colocou seu conhecimento para servir ao governo da ditadura. Contudo, ele sempre foi um profissional competente na sua área de conhecimento. Mas, se ele agora analisa e apóia as medidas adotadas no campo econômico, pela presidenta Dilma Rousseff, então foi ele quem mudou, e isto é bom. Mais vale um Delfim do que mil economistas neoliberais ou globais.

Finalmente, tem coisa muito grave para ser lembrada, a coisa pior foi trair a nação brasileira, alterar a Constituição para se reeleger, vender quase de graça o patrimônio nacional aos estrangeiros, conforme fez o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSD-SP), isto sim, é mais do que vergonha nacional, é crime nacional.

Não posso falar em nome do blog, mas, pelo pouco que sei, trata-se de um sítio pessoal, individual da escritora Glória Leite, autora do blog. Contudo, posso dizer que é um local muito democrático, basta ver que ela publicou o seu equivocado "desabafo".

Chico Barauna
28-09-2012.