02 julho 2012

Se não fosse trágico daria pra rir: Palhaço Rösler acusa Brasil de protecionismo

Deutsche Welle

Na abertura do 30° Encontro Econômico Brasil-Alemanha, realizado em Frankfurt, ministro alemão da Economia, Philipp Rösler, acusa Brasil de protecionismo e pede para que Brasília derrube barreiras comerciais.

Brasília e Berlim tentam aparar arestas em suas relações comerciais no 30° Encontro Econômico Brasil-Alemanha, que se realiza em Frankfurt nesta segunda (02/06) e terça-feira. Arestas e farpas que já ficaram claras logo na abertura do evento, cujo lema este ano é "Novas Estratégias para mercados em transformação".

"Apelo para que o governo brasileiro assuma a bandeira do livre comércio e que remova as barreiras existentes. Barreiras comerciais prejudicam a economia de ambos os lados", pediu o ministro alemão da Economia, Philipp Rösler, em seu discurso da abertura da conferência, realizada todos os anos, alternadamente, em um dos dois países.

Rösler afirmou que vê com "muita preocupação as crescentes tendências protecionistas no Brasil e no continente americano". "Sou a favor do livre mercado e que barreiras sejam desmontadas", acrescentou. "Precisamos lutar juntos contra o protecionismo e por uma competição livre", disse o ministro, que é também chefe do Partido Liberal alemão.

Rebatendo críticas de Dilma

O ministro alemão também rebateu a rejeição do governo brasileiro em relação à política europeia de combate à crise no continente, dizendo que a Europa não tem intenção de melhorar sua competitividade na exportação, mas de garantir a estabilidade da própria moeda.

Rösler se referia, assim, às críticas feitas em março pela presidente Dilma Rousseff, que culpou a política de empréstimo a juros baixos do Banco Central Europeu na zona do euro pelo grande afluxo de dólares ao Brasil, o qual, segundo ela, causaria valorização do real e um desaquecimento das exportações brasileiras. "A política do BCE não tem por fim manter nosso câmbio barato e melhorar nossa competitividade", ressaltou. "Nós não precisamos disso", alfinetou o ministro.

Rösler comentou, ainda, que deposita grandes esperanças na presidência brasileira do Mercosul. O país assumiu o comando rotativo do bloco neste mês. "Esperamos que a presidência brasileira dê nova vida ao acordo de comércio (entre União Europeia e o Mercosul)" comentou, referindo-se às conversações para uma aliança entre os dois blocos, há anos emperradas.

Mais aqui

2 comentários:

Anônimo disse...

Traduzindo

O capeta Philipp Rösler, ministro alemão da Economia, deseja executar a política do chamado Consenso de Washington, a mesma que está rebentando os países da Europa, vejamos a seguir:

1 - Desregulamentação,
2 - Privatização,
3 - Abertura ao capital estrangeiro,
4 - Remoção das barreiras ao comércio.

Elementos suficientes e necessários para promover o desenvolvimento econômico e social dos banqueiros mafiosos, donos da banca do capital financeiro internacional.

Chico Baraúna
02-06-2012.

Thieres Duarte disse...

Olá tudo bom amigo? estou seguindo o seu blog e acompanhando o seu trabalho. Se puder siga o meu também, o link é http://www.thieresduarte.blogspot.com/ desde já obrigado e parabéns pelo blog!